Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Pequenos Jornalistas

Um espaço onde os alunos do JARDIM DE INFÂNCIA DE TREMOCEIRA manifestam as suas opiniões, gostos, curiosidades; relatam as suas vivências e descobertas, tal como pequenos "jornalistas" em acção, numa janela muito grande aberta para o Mundo

Pequenos Jornalistas

Um espaço onde os alunos do JARDIM DE INFÂNCIA DE TREMOCEIRA manifestam as suas opiniões, gostos, curiosidades; relatam as suas vivências e descobertas, tal como pequenos "jornalistas" em acção, numa janela muito grande aberta para o Mundo

obrigada

Visita à Pia do Urso

pequenos-jornalistas, 22.05.07
Na 5ª feira dia 17 de Maio de 2007 e dia da Espiga, visitámos a Pia do Urso, em conjunto com os colegas da Escola do 1º Ciclo de Tremoceira.
É um parque eco-sensorial, projectado em especial para pessoas invisuais.
Para além de podermos desfrutar daquele espaço em pleno ambiente serrano da Serra de Aire, onde existe de facto a harmonia entre a Natureza e a intervenção humana, foi nosso objectivo experimentarmos ser por momentos  invisuais naquele local e sentirmos quanto é difícil ser -se invisual,  embora tirando partido dos outros quatro sentidos.
Acredito que a sensibilização à pessoa invisual ficou assim mais vincada após esta vivência, neste ano de 2007, que é o "Ano Europeu da Igualdade de Oportunidades para Todos" .

 

 

  •   Gostei de ver aquilo que tem água. Era para os ursos beberem. Havia lá brinquedos p’ra brincar. Gostei daquele que parece uma cara p’ra pôr lá.(Beatriz, 3 anos)

  • Hoje o meu irmão não foi lá à Pia do Urso. No outro dia foi. O meu padinho também foi lá, e a Patícia também foi lá. Eu fui lá dentro da casa do urso mais a mãe. Gosto mais do urso que ía lá beber água porque tinha sede. (Filipe, 4 anos)








  • Fomos à Pia do Urso e eu vi uma casa com flores. Era uma casa feita de pedras castanhas. Tu puseste-me uma fita para fazer de conta que eu era cego. Eu sentia o chão que era feito de madeiras redondas. Quando havia um degrau tinha que andar devagar. (Pedro, 4 anos)
  • Vi lá a Márcia e um jardim. Levava a mochila. Eu estava a ver o jardim e não mexi, para não estragar as flores. Eu fiz bem! Eu gostei de fazer festinhas ao cavalo de faz de conta. ( Carolina Silva, 3 anos)




  • Eu tinha lá ido na barriga da minha mãe. Hoje fui de camioneta. Gostei de ver o coelho de faz de conta, o galo, a galinha, o burro...Gostei de ver a Pia do Urso. Tinha lá 2 ursinhos desenhados. Eles iam lá beber água. ( Catarina Ribeiro, 3 anos)


  • Gostei de ver o cavalo. Ele era castanho, era mais grande e era de faz de conta. Também gostei de ver o burro. Fiz-lhe festinhas com a mão e ele gostou porque estava a rir-se. (Maria, 4 anos)












  • Foi bom o passeio. Tava lá um cavalo gigante; tava lá um burro também. Tava lá um jogo das peças que tinha cruzes e bolas. Gostei dos brinquedos que tinha lá: escorregas, aquilo para fazer música assim, assim, quadrados, o dinossauro para trepar... Foi muito fixe! (Afonso Jesus, 3 anos)


  • Gostei mais de brincar na areia que estava lá com um escorrega. Também gostei das fotografias que tu tiraste na Pia do Urso. Fui cego durante um bocadinho. É um bocado difícil, porque se nós “vêssemos”, podíamos fazer algumas coisas e os cegos não podem fazer todas as coisas, mas podem ouvir, falar, cheirar e tocar com os pés p’ra saber o caminho certo. (Leandro, 5 anos)






  • Gostei muito de ver os coisinhos para brincar: o baloiço e o escorrega. Havia lá casinhas de pedra enfeitadas com flores, gostei de ver lá aqueles rios todos...era para os ursos e outros animais muito grandes que são mais altos do que a nossa escola irem lá beber água.( Sara, 4 anos)














  • Gostei mais de ver aquela bicicleta que fazia rodar uma roda às riscas redondas. Também gostei dos animais de faz de conta; gostei da vaca e do porco. Havia água nas pias; uma tinha a forma de um coração. Eu experimentei se fosse cega e eu gostei. É melhor não ser cega, porque assim já conseguem ver as coisas. Quem não consegue pode tocar nas coisas e sentir o que é as coisas. Havia lá umas letras que nós conseguíamos ler por não sermos cegos e havia uns pontinhos que era para os cegos sentirem o que está lá escrito. Gostei do puzzle da galinha e gostei de ver aquelas coisas a tocar música. (Catarina Marto, 5 anos)


  • Gostei das pias; uma tinha peixes, uma tinha erva e era uma pia! Gostei de andar a fazer de conta que era cega. Não foi difícil porque eu podia sentir o chão que tinha aquelas madeiras no caminho e tinha umas pontes baixinhas porque era para dizer que estava ali um parque que tinha aquelas rodas.( Sofia, 4 anos)


  • Gostei de ver o burro e também ver o cavalo de faz de conta e a vaca que tinha um filhinho. (Carolina Silvério, 5 anos)
  • Gostei mais dos rios que tinham água e ervas. Experimentei ser cego; foi giro. É difícil! Tinha medo de cair. Para seguir o caminho certo sentia com os pés( Afonso Custódio, 5 anos)


  • Gostei de andar de camioneta. Vi vacas e ovelhas, vi moinhos que pareciam um quadrado. Lá na Pia do Urso gostei de ver a Pia do Amor que tinha a forma do coração. Gostei daquilo que se passa entre a água, a ponte. Gostei mais de ver o cavalo, o burro , o galo e mais o coelho. Quando experimentei ser cego toquei nas calças do que ia à frente. Ser cego lá não é fácil ver, mas pode-se tocar, cheirar as flores e os eucaliptos como ao pé da minha casa...(Valter, 5 anos)


Nós é que agradecemos à Câmara Municipal da Batalha, entidade responsável por este belo espaço de lazer. Obrigado!

2 comentários

  • Olá mãe Sónia!
    Gostei que tu fizesses isto que é falar no nosso blog.
    Beijinhos para todos.
    BEATRIZ ,3 anos

    Foi muito divertido o passeio. Nós gostamos de muitas coisas lá.
    SOFIA, 4 anos
  • Comentar:

    Mais

    Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.