Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pequenos Jornalistas

Um espaço onde os alunos do JARDIM DE INFÂNCIA DE TREMOCEIRA manifestam as suas opiniões, gostos, curiosidades; relatam as suas vivências e descobertas, tal como pequenos "jornalistas" em acção, numa janela muito grande aberta para o Mundo

Pequenos Jornalistas

Um espaço onde os alunos do JARDIM DE INFÂNCIA DE TREMOCEIRA manifestam as suas opiniões, gostos, curiosidades; relatam as suas vivências e descobertas, tal como pequenos "jornalistas" em acção, numa janela muito grande aberta para o Mundo

obrigada

A outra surpresa...

pequenos-jornalistas, 27.03.10

 

Saíu da sala e logo de seguida já não era a Áurea que entrava, mas um ratinho (bastante grande...) que contava a história "A que sabe a lua?".

Nesta história a amizade e o companheirismo de diversos animais , dos maiores aos mais pequenos, é o que vai ser mesmo necessário para poderem saborear um pedacinho da lua, que afinal sabia àquilo a que cada um deles mais gostava.

E dentro desta surpresa, uma outra surpresa que a Áurea nos trouxe: luas que se podiam comer e que souberam a coisas belas como estrelas, abraços, sorrisos, beijinhos...!

Agora os Pequenos Jornalistas também já sabem a que pode saber a lua!

Obrigada Áurea Mata!

A tua visita foi muito especial para todos nós!

Pura Magia!

pequenos-jornalistas, 25.03.10

Foi mesmo assim!

A tão esperada visita da nossa amiga Áurea, que conhecemos através deste nosso blogue, foi pura magia: misteriosa, rápida, mas muito intensa e divertida!

Uma perfeita poetisa e contadora de histórias com uma caixinha, mágica também!

Ninguém estava à espera que de repente entrasse uma zebra no nosso Jardim de Infância, mas entrou!

Era a Zebra Camila, que contou a sua história de quando o vento, bandido, lhe roubou 7 riscas do seu vestido! Chorou 7 lágrimas por as ter perdido, mas teve 7 amigos que a ajudaram, partilhando com ela algo de seu!

 

Os Pequenos Jornalistas gostaram muito da história, das rimas que ela tinha dentro, das perguntas e respostas e da canção que a Áurea cantava a fazer de conta que era a Zebra Camila.

Foi uma surpresa integrada na Semana da Leitura do Plano Nacional de Leitura e no Mês da Poesia do Município de Porto de Mós.

Mas ainda haveria outra surpresa...querem saber qual?

O som das letras a brincarem!

pequenos-jornalistas, 06.03.10

Abecedário Sem Juízo

A é a Ana, a cavalo numa cana.

B é o Beto, quer armar em esperto.

C é a Cristina, nada fora da piscina.

D é o Diogo, com chichi apaga o fogo.

E é a Eva, olha o rabo que ela leva.

F é o Francisco, come as conchas do marisco.

G é a Graça, ai mordeu-lhe uma carraça!

H é a Helena, é preta, diz que é morena.

I é o Ivo, põe na mosca um curativo.

J é o Jacinto, faz corridas com um pinto.

L é o Luís, tem macacos no nariz.

M é a Maria, come a sopa sempre fria.

N é o Napoleão, dorme dentro do colchão.

O é a Olga, todos os dias tem folga.

P é a Paula, entra de burro na aula.

Q é o Quintino, que na missa faz o pino.

R é o Raul, a beber a tinta azul.

S é a Sofia, engasgada com uma enguia.

T é a Teresa, come debaixo da mesa.

U é o Urbano, que caiu dentro do cano.

V é a Vera, com as unhas de pantera.

X é a Xana, caçando uma ratazana.

Z é o Zé, foi ao mar, perdeu o pé.


Texto de Luísa Ducla Soares

in "A Gata Tareca e Outros Poemas Levados da Breca", Teorema

 

Uma Biblioteca especial

pequenos-jornalistas, 06.03.10


Esta história, descoberta na Biblioteca de Livros Digitais, foi muito do agrado dos Pequenos Jornalistas.

Agora é só clicarem na imagem e ela fica logo aqui, mesmo à mão!

Para ouvirem os sons, basta clicarem em cada página sobre uma imagem igual a esta:

Biblioteca de Livros Digitais (que tem o nº 27 nas "ligações para brincar e aprender" da barra lateral do nosso blogue) é um recurso educativo muito interessante, disponibilizado pelo Plano Nacional de Leitura.

Felizmente já temos acesso à Internet em banda larga, o que nos possibilita aceder com qualidade a este recurso, no Jardim de Infância.

Ficamos tristes quando sabemos que ainda existem Jardins de Infância do nosso Agrupamento que não têm qualquer acesso à Internet!... 

Mundo das histórias

pequenos-jornalistas, 05.03.10

 

muitas maneiras de entrar no mundo das histórias!

Nesta semana os Pequenos Jornalistas puderam experimentar várias: abrir um livro e "ler" as imagens, ouvir o que lá está escrito, ouvir alguém contar uma história (inventada ou não) sem livro ou com livro como suporte, ouvir uma poesia, ouvir uma história  dita e cantada no rádio gravador, ouvir/ver uma história no computador e na televisão com o uso do DVD, ver um teatro de fantoches...

Um obrigado cheio de carinho para a Guida, mãe do João Fernandes, que dispôs do seu tempo para vir ao Jardim de Infância contar a história do Ursinho que queria ser pássaro!

Um Grande Amor!

pequenos-jornalistas, 20.07.09

 

Um livro que resultou do interesse dos Pequenos Jornalistas pela bela história de Amor vivida entre D. Pedro e D. Inês de Castro, apresentada no livro de Vanda Marques com o título de "O amor de Pedro e Inês, contado aos Pequenotes" ( Editora Quetzal), agora também recomendado pelo Plano Nacional de Leitura.

Tivemos o apoio de duas Amigas Estagiárias: Dora Santos e Rita Pinto, a quem agradecemos e desejamos muitos "Momentos Felizes" no seu percurso escolar e profissional!

 

Construir Primavera

pequenos-jornalistas, 20.03.09

Aconteceu Primavera, uns dias antes da data oficial.

Nasceram flores das mãos dos Pequenos Jornalistas!

 

 

Construídas a partir de caixas de ovos, foram pensadas para serem oferecidas aos nossos amigos mais velhinhos do Centro de Bem Estar da Cruz da Légua, que nos visitaram no âmbito da Semana da Leitura.

 

A alegria de dar e receber poesias, histórias, presentes e afectos!

 

 

No momento de receber esta pequena flor com o bloquinho e o coraçãozinho decorado, o senhor Bernardino Augusto , com 80 anos já feitos, também fez poesia:

"Recebo esta prenda

Com prazer e alegria

oxalá que de hoje a um ano

esteja na mesma companhia!"

Livros mágicos!

pequenos-jornalistas, 16.03.09

O Plano Nacional de Leitura criou na Internet um novo espaço  chamado "Biblioteca de livros digitais", onde existem livros mágicos!

Não acreditam que são mágicos?

Então, se quiserem confirmar, cliquem AQUI; para ouvirem parte da sua magia é só clicarem sobre o símbolo "ler mais" que está sempre no fundo de cada página.

O prazer de "ler"!

pequenos-jornalistas, 10.03.09

Este é um símbolo que os Pequenos Jornalistas descobriram em vários livros do Jardim de Infância, do baú dos livros da Biblioteca Itinerante dos Jardins de Infância do Agrupamento de Escolas de Porto de Mós, assim como da "Carrinha Mágica" (Bibliomóvel da Biblioteca de Porto de Mós, que nos visita quinzenalmente) e cujo significado já conhecem.

O Plano Nacional de Leitura recomenda Ler Mais nas escolas, Ler Mais nas bibliotecas, Ler Mais em família, Ler Mais em todo o lado!

Embora os Pequenos Jornalistas ainda não saibam ler como os mais crescidos, gostam de ouvir histórias, poesias, lengalengas e de ouvir ler ; eles também já sabem "ler" à sua maneira.

Sabem observar e interpretar as imagens dos livros, alguns já reconhecem letras isoladamente ou em pequenas palavras que conhecem, identificam e acompanham a direcção da escrita (da esquerda para a direita e de cima para baixo), manifestando prazer em abrirem um livro e descobrirem o que ele lhes oferece.

 

Muitos livros já passaram pelas mãozinhas de cada um!

Todos os dias há alguma actividade relacionada com a pré-leitura e até com a pré-escrita; mas na Semana da Leitura ouviram histórias de diversos livros,  e também algumas poesias de Sophia de Mello Breyner Andressen, autora em destaque. Este foi um deles, por se poder relacionar com o nosso projecto deste ano "Histórias da História" :

"Retrato de uma princesa desconhecida"

 

  (Ilustração da Catarina, 5 anos)

Para que ela tivesse um pescoço tão fino

Para que os seus pulsos tivessem um quebrar de caule

Para que os seus olhos fossem tão frontais e limpos

Para que a sua espinha fosse tão direita

E ela usasse a cabeça tão erguida

Com uma tão simples claridade sobre a testa

Foram necessárias sucessivas gerações de escravos

De corpo dobrado e grossas mãos pacientes

Servindo sucessivas gerações de príncipes

Ainda um pouco toscos e grosseiros

Ávidos cruéis e fraudulentos

Foi um imenso desperdiçar de gente

Para que ela fosse aquela perfeição

Solitária exilada sem destino

 

(Poema de Sophia de Mello Breyner Andressen)