Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Pequenos Jornalistas

Um espaço onde os alunos do JARDIM DE INFÂNCIA DE TREMOCEIRA manifestam as suas opiniões, gostos, curiosidades; relatam as suas vivências e descobertas, tal como pequenos "jornalistas" em acção, numa janela muito grande aberta para o Mundo

Pequenos Jornalistas

Um espaço onde os alunos do JARDIM DE INFÂNCIA DE TREMOCEIRA manifestam as suas opiniões, gostos, curiosidades; relatam as suas vivências e descobertas, tal como pequenos "jornalistas" em acção, numa janela muito grande aberta para o Mundo

obrigada

Um vulcão em erupção!...Faz de conta...

pequenos-jornalistas, 22.02.13
 
  
  

A experiência do VULCÃO

Procedimentos:

Pusemos dentro do frasco (escondido na montanha de terra…):

  • 1 colher de sopa com bicarbonato de sódio
  • 1 colher de sopa com detergente da loiça
  • 5 gotas de corante alimentar vermelho
  • 5 gotas de corante alimentar amarelo
  • 5 cl (centilitros) de vinagre (=50 ml)
Quando acabámos de despejar o vinagre para dentro do "interior do vulcão", vimos o que vos mostramos nas fotos! Foi espetacular!
Os Pequenos Jornalistas já descobriram muitas coisas sobre os vulcões; algumas delas estão explicadas neste SÍTIO; é só clicar...

O Pipocas e a Ritinha...

pequenos-jornalistas, 25.03.11

 

Estes dois bonequinhos com sementes na cabeça foram-nos oferecidos pela mãe do Lucas, uma amiga que de vez em quando nos faz umas belas surpresas!

Aproveitámos para fazermos uma experiência; depois de mergulhados na água e mantendo sempre os seus pézinhos de molho com a mesma quantidade de água, ajudaram-nos a descobrir o que acontece às plantas que germinam quando estão à luz do sol e quando estão sem a luz do sol.

O Pipocas esteve sempre ao sol, no parapeito da janela.

A Ritinha esteve sempre dentro do armário da cozinha onde o sol não chegava.

Já adivinharam quem é quem?

Pois é: o Pipocas ficou com uns belos cabelinhos verdes não muito compridos, enquanto a Ritinha ficou com uns não menos belos cabelinhos amarelos (lourinhos, portanto!) muito mais compridos!

Interessante não?

 

Uma experiência...

pequenos-jornalistas, 23.06.10

E se plantássemos alfaces na areia da praia que está na nossa caixa de areia? Será que se regássemos também cresciam como na terra da horta? E qual das alfaces cresceria mais depressa?

Fizemos uma actividade experimental, partindo destas interrogações.

Arranjámos dois vasos iguais; num colocámos terra da horta e no outro colocámos a areia da praia que fomos buscar à nossa caixa coberta, que está  no recreio.

 

A seguir plantámos uma alface em cada vaso e demos a mesma quantidade de água a cada uma; usámos para isso um copinho de vidro onde colocámos uma marca feita com uma tirinha de papel autocolante.
Fizemos registos do que cada um pensava que iria acontecer e verificámos que haviam opiniões diversas.

Tínhamos que esperar que os dias passassem e tínhamos que observar e registar semanalmente o que íamos observando!...
Assim fizemos, num quadro de duas entradas. Eis o resultado:

Foram evidentes as diferenças no crescimento das duas alfaces. A que foi plantada na terra da horta ficou rapidamente com mais e maiores folhas, estando os vasos sempre lado a lado e mantendo-se a rega igual para as duas alfaces.

Então percebemos que a terra da horta tem nutrientes que são assim uma espécie de alimentos bons para as plantas, ao passo que a areia da praia não os tem...é mais pobre e por isso as plantas crescem menos na areia.

O terreno onde são plantadas as plantas, influencia o desenvolvimento delas!

 

Aprender, brincando!

pequenos-jornalistas, 19.04.10

O que vai afundar? E o que vai flutuar? Será que acertam? Porquê?

Se clicarem AQUI, podem jogar e verificar.

"Float" quer dizer flutua. "Sink" quer dizer afunda. Primeiro devem clicar sobre uma destas palavras, de acordo com o que pensam que vai acontecer; depois devem arrastar o objecto para dentro do recipiente com água.

Mais uma vez, é aprender, brincando!

Afunda-se ou flutua?

pequenos-jornalistas, 19.04.10

Olhando a água parada na caixa de areia, alguns Pequenos Jornalistas viram folhas a flutuarem; elas tinham que ser retiradas, para não entupirem o funil que tínhamos no bidão de recolha da água da chuva.

Partindo dessa situação, foi lançado o desafio: vamos trazer diversas coisas de casa, para experimentarmos e verificarmos se flutuam ou se afundam!

Assim foi; havia muitas coisas que vieram de casa para experimentarmos: castanhas, batatas, pinha aberta e pinha fechada, esferovite, tampa de garrafa, folhas verdes, pedra grande e pedra pequena, sementes de abóbora, um dinossauro , tangerina, carro do homem aranha, copo de plástico, boneco de plástico, pêra, laranja enorme, uvas.

Fizemos o registo do que achávamos que ía acontecer e depois comparámos com o que aconteceu.

 

Por vezes os Pequenos Jornalistas ficaram mesmo admirados com o que observaram.

Foi o caso da laranja e dos bagos de uva.

Para tentarmos entender o porquê dos factos que observámos, fomos investigar um pouco na Internet.
Encontámos este sítio AQUI que nos diz (em Português do Brasil) que o afundar ou o flutuar dos objectos depende da sua densidade e não do seu peso nem do seu tamanho. Se for mais denso do que a água, afunda; mas se for menos denso do que a água, flutua!
Por isso a laranja enorme flutua e os bagos de uva, mais pequenos afundam-se; eles são mais densos do que a água.
O ar que existe dentro das coisas também as ajuda a flutuar. Descobrimos isso quando mergulhámos as 3 castanhas e uma delas flutuou. Ela tinha um buraquinho; a Graça apertou e vimos bolhinhas de ar a sairem de dentro dela; largou-a, e imediatamente ela se afundou, juntando-se às outras duas no fundo da taça de vidro.
Esta actividade prática foi muito do agrado dos Pequenos Jornalistas, tendo sido prolongada pelos dias seguintes...

Acção-Reacção

pequenos-jornalistas, 27.09.09

 

Lei da Acção-Reacção: "Para cada acção há sempre uma reacção oposta e de igual intensidade" ou seja, sempre que um corpo exerce força sobre outro, esse também exerce uma força sobre o primeiro.

As forças de acção e reacção são iguais em intensidade e direcção, mas possuem sentidos opostos. 

Esta é a 3ª lei de Newton, que podemos experimentar neste pequeno exemplo com 5 bolinhas suspensas (tal como 5 bagos de milho ou 5 espigas), arrastando-as para sentidos opostos.

Querem experimentar?

Para saberem mais sobre o cientista Isaac Newton, cliquem AQUI.